Quais os perigos da gordura abdominal na mulher e como combatê-la

Quais os perigos da gordura abdominal na mulher e como combatê-la

4388
0
COMPARTILHE

Quando se fala de gordura abdominal, geralmente apenas se referem àquelas gordurinhas inestéticas que se acumulam na zona da barriga. Contudo, este tipo de gordura é muito mais que isso, podendo trazer sérias complicações para a saúde da mulher. Aliás, há muitos casos onde aparentemente o perímetro abdominal está adequado, e na realidade, por dentro, a gordura acumulada é bastante grande. Neste artigo poderá conhecer melhor quais os perigos da gordura abdominal, como saber se tem em excesso, e ainda, como a combater. Saiba mais.

exercicio-abdominal

Os perigos da gordura abdominal

A zona abdominal é uma região do corpo onde se localizam grande parte dos órgãos vitais do organismo. Como tal, o excesso de gordura nessa área pode trazer várias complicações de saúde, já que essa massa gorda a mais pode interferir no funcionamento desses órgãos. De acordo com os especialistas, nas mulheres, o aumento da gordura abdominal começa a ocorrer naturalmente a partir dos 40 anos. As causas são simples, estando ligadas a alterações ligeiras no corpo feminino, que no entanto, reduzem o metabolismo, tornando mais difícil a queima da gordura. Se nada for feito em contrário, esta redução do metabolismo, ligada à diminuição da produção de estrogénio, irá levar ao aumento de peso, especialmente, na zona abdominal.

Como explicamos atrás, o excesso de gordura nesta zona, juntamente com o acumular da gordura visceral (gordura que reveste os órgãos), podem levar ao desenvolvimento de vários problemas de saúde potencialmente perigosos. A médio e longo prazo, o excesso de gordura abdominal pode levar ao aparecimento de doenças como hipertensão, doenças do foro cardiovascular e diabetes tipo 2.

Além disso, há ainda outras complicações relacionadas com o excesso de gordura abdominal. Por exemplo, a acumulação de grandes quantidades de massa gorda na região logo abaixo do diafragma, irá tornar todo o processo de ventilação respiratória mais difícil, o que se traduz em maiores dificuldades respiratórias, e nalguns casos, em apneia de sono. O excesso de gordura abdominal é ainda um dos fatores de risco para variadas doenças cancerígenas, como o cancro do colo do útero ou da mama, e como tal, mais uma razão para começar já a pensar sobre como reduzir de uma forma saudável a sua gordura abdominal.

Como saber os seus níveis de gordura abdominal

Qualquer pessoa tem noção sobre se o seu perímetro abdominal está dentro dos parâmetros ditos normais, ou se está um pouco acima do que deveria estar. Nada melhor que cada pessoa para conhecer o seu corpo e perceber se a barriguinha está maior ou não. Com o aumento da gordura abdominal, vem normalmente a sensação de roupa mais apertada e maior cansaço. Mas se estes sinais são importantes, são igualmente importantes alguns parâmetros definidos pelos profissionais de saúde. Assim, de uma forma genérica, o homem deve ter no máximo 102 cm de cintura. Já no caso das mulheres, esse valor não deve ultrapassar os 89 cm.

Como posso reduzir a gordura abdominal?

A gordura abdominal, tal como outros tecidos adiposos acumulados em várias partes do corpo, é importante. Afinal, o nosso corpo necessita dessas reservas. O problema é quando esta gordura está em excesso. Infelizmente, como a Organização Mundial de Saúde já afirmou, atualmente o excesso de peso é uma epidemia mundial de consequências graves. Fatores como uma alimentação inadequada aliada ao sedentarismo, levam a que cada vez mais pessoas tenham excesso de peso.

E o problema de muitas mulheres é que, a partir de uma certa idade, o próprio corpo já não ajuda. Contudo, mesmo que o esforço realizado não esteja a ter todos os efeitos pretendidos, tudo o que faça para melhorar a sua alimentação, tornar o seu estilo de vida mais saudável, e reduzir a gordura localizada, é essencial para promover um organismo mais saudável e menos suscetível de sofrer as doenças atrás referida. Para a ajudar, deixamos de seguida várias dicas sobre como combater de forma mais eficaz a gordura abdominal.

– A água é essencial, e como tal, deve começar a aproximar-se da sua ingestão ideal. Para saber qual é, a Organização Mundial de Saúde ajuda: no caso das mulheres, deve-se beber diariamente 1 litro por cada 25 kg de peso. Já nos homens, é um litro por cada 30 kg.

– Aposte em alimentos frescos e saudáveis, como frutas, vegetais, saladas.

– Comece a colocar de parte os cereis simples e refinados, como a farinha branca, e prefira grãos integrais.

– Comece a reforçar a sua alimentação com peixe, e a trocar as carnes vermelhas pelas brancas.

– Evite tudo o que sejam doces, alimentos industrializados, comidas prontas e refrigerantes.

– Faça exercícios aeróbios, ótimos para queimar calorias. Caminhar diariamente a um ritmo rápido, ou então, fazer corrida ou bicicleta, 3 a 4 vezes por semana, durante 30 a 60 minutos.

– O sal é um mineral essencial para o corpo humano, mas em quantidades adequadas. Tendo em conta que quase toda a população mundial tem uma ingestão exagerada de sal, deve começar a cortar consideravelmente nas suas refeições.

– Relativamente aos laticínios, procure evitar leite e queijos mais gordos, preferindo queijos frescos e iogurtes. Estes, sendo alimentos que incluem bactérias saudáveis, irão ajudar a fortalecer a flora intestinal e ajudar a melhorar a digestão.

– Todos os dias de manhã, comece logo o seu dia com um copo de água morna, com limão ou com extrato de aloé.

– Não salte refeições. Não deve estar mais de 3 horas sem comer, pois caso contrário, o seu organismo irá baixar o metabolismo, e nas principais refeições, absorver mais do que realmente necessita. A ideia de que menos refeições são menos calorias é errada, pois o organismo dessa forma baixa o seu metabolismo e acumula mais gordura.

Siga estas dicas sobre como combater a gordura abdominal, e comece já a reduzir a sua barriguinha e a melhorar a sua saúde. Estes pequenos esforços, quando corretamente seguidos, rapidamente se tornam hábitos, com fantásticos benefícios para o seu organismo e para o seu bem-estar.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA